AMBIGUIDADE POÉTICA




                   Na poesia eu posso ser ambígua
                   com multiplicidade de sentidos
                   mil metáforas, mil estrelas
                  ser precisa eu não preciso

         
                   A lua é ambígua em suas fases
                   parece lua, parece queijo
                   quando é crescente mais parece
                   que quer receber um beijo

                  As nuvens são ambíguas no céu
                 apresentando mil interpretações
                 até parecem esculpidas por cinzel
                  dando asas as imaginações.


               O mar é ambíguo ao poeta
               cada qual tem uma forma de ver
              assim como também somos ambíguos
               e mais ambíguos na forma de se ler


                 É tão linda a ambiguidade
                nas entrelinhas da bela poesia
               cada qual com sua realidade
              cada qual com sua fantasia

              É tão reflexiva a ambiguidade
              nas mil formas de interpretar
              ninguém decifra quem escreve
              e quem escreve não pode vir contar....


                     Lucinéia Magri

Comentários