A triste escravidão




O passado ficou todo manchado
o retrato revelado pela escravidão
em cena os chicotes cortavam
e os corpos tombavam ao chão.

Quando penso que isto aconteceu
eu não entendo como pôde ser
a escravidão já começava no ventre
e para eles a luz não apareceu.

Ai....Meus Deus! como entristeço
em lembrar do que foi a escravidão
dos homens vendidos por um preço
mercadorias que iam a leilão.

Lágrimas rolaram pelos rostos
Lágrimas que foram engolidas
filhos nunca foram repostos
e mães totalmente destruídas.

Meninas rasgadas pelas taras
de homens piores que canibais
nunca tiveram uma jóia rara
mas apenas coroas espinhais.

Ah! Meus Deus! Deus do Céu!
Como apagar a mancha da história?
Como ainda não ouvir este tropel?
que ainda ressoa na memória...

Ah! Triste e terrível escravidão,
que em outros moldes continua
quem é que tem a chave do porão
para libertar a escravidão que perpetua?


Tudo isto é um triste tormento
os "senhores" continuam a escravizar
há acorrentados a todo momento
Oh! Meus Deus! Venha nos Salvar!!!


Lucinéia Magri

Comentários